Naruto RPG Akatsuki
Olá visitante, registre-se em nosso fórum e venha fazer parte desde mundo mágico de Naruto, sim, seja um Ninja! Veja no vídeo abaixo os primeiros passos para fazer parte deste mundo após o seu cadastro!


Convidado


23/11/2017, 09:25
Mensagens: 0
Geral
RPG
Ficha de personagem
Rank:
Perso:
HP:
CK:
ST:

Notificações
Não há notificações
Resetar as notificações
UM TEXTO AQUI LOGO LOGO
Meta: 00,00 R$ Recebido: 00,00 R$
00%
compre Seus AGs Pelo Pag Seguro e Paypal
UPDATES!
09.09.2017 — Exatamente um mês desde o último update, estou aqui hoje para avisar que o arco RUPTURAS está oficialmente encerrado. Ao longo dos próximos dias o tópico referente a ele será devidamente atualizado. Como prometido, novos sistemas virão (já estão disponíveis para o público ver e sugerir coisas) e novos Clãs/Kekkei Genkais também, além disto, muito em breve teremos o inicio de um novo arco.
ESTAÇÕES & EVENTOS
Ano: 08
Primavera:
14/11 - 07/12
Verão: 08/12 - 30/12
Outono: 31/12 - 22/01
Inverno: 23/01 - 13/02





Últimos assuntos

» Teste de Template (Shibō)
por Tokage Hoje à(s) 09:12

» [BANCO] Misaki Mei
por Watanabe Ren Hoje à(s) 07:03

» Crônicas de um Zoldyck
por Yamiko Hoje à(s) 06:58

» [F.P] Dante
por Yuzuki Hoje à(s) 06:56

» [FP] Inuzuka Ryujin
por Yuzuki Hoje à(s) 06:53

» Lista & Organização de Vilarejos
por Ryūjin Hoje à(s) 03:04

» Lista & Organização de Clãs
por Ryūjin Hoje à(s) 03:03

» Treinamento Pericia em Shurikenjutsu (01)
por Watanabe Ren Hoje à(s) 00:51

» [Missão Rank C - Urameshi] Preço da Fama
por Urameshi Hoje à(s) 00:48

» Loja de Iwa
por Watanabe Ren Hoje à(s) 00:32

Procurados
Procurados RPG Akat


Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

[CS - Konoha e Suna - 1ª FASE] Hotaru

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo  Mensagem [Página 1 de 1]

Deca

avatar
Gennin
Gennin


E o teste se inicia na floresta da morte. Agora você foi liberado para entrar e o caminho a frente será tortuoso. Alguns pequenos animais selvagens (um bando de 8 lobos, para ser mais exato) aparecerão assim que começar a adentrar a floresta. Eles estão com muita fome, então tenha muito cuidado com eles, pois sobreviver a floresta da morte é necessário.


Detalhes: http://narutorpgakatsuki.com.br/t49128-chunin-shiken-konoha-suna#298695
Considere: esse principio será bem simples, é mais umas boas vindas da Floresta do que qualquer outra coisa. Pode narrar os lobos que te atacarão sem pensar duas vezes, eles tem só dois metros e podem subir em árvores (fora isso eles são como lobos normais). O limite de tempo do teste na floresta (em ON) é de uma semana, vamos ver quem chega primeiro. Estamos no inverno e é o meio da tarde agora (12h).




Simplicidade e realidade me encantam. Busco trazer isso no que escrevo. (plágio '-')
Ver perfil do usuário

Hotaru

avatar
Chūnin
Chūnin
Já tinha passado alguns minutos na floresta para observar seu ambiente. Árvores de todos os tamanhos e sons de animais, insetos ou não, por todo o lugar. Com Ki Nobori no Shugyō eu subia até o topo da árvore mais alta que pude encontrar para conseguir me localizar com referência ao ponto onde devo chegar. Busquei, em seu topo, ver a torre de chegada. Entretanto, não pude ver nada com grande clareza, apenas um pequeno borrão distante que se destacava das outras árvores pela coloração.
- Lá pode ser o centro... Agora a parte difícil será me locomover até lá. - Dizia para si enquanto descia da árvore. Não demorou para notar um grupo de lobos. Alguns na base da árvore e outros ficando suas garras pelos tronco e conseguindo subir sem problemas. ''Parece que a natureza está me dando as boas vindas. Serei educada o suficiente para retribuir o favor'' - pensei.
- Bora meter a porrada! - Dois lobos foram os primeiros a lhe alcançar. Ela pega cada qual pelo foucinho e bate a cabeça de um contra o outro de modo que eles desmaiem no mesmo momento. A jovem gostava de confusão e aquilo apenas lhe empolgava. Ela tem ciência de que ainda não é tão inteligente quanto almeja em seu sonho de ser uma grande cientista, entretanto, iria com tudo em qualquer coisa que estivesse entre ela e seus sonhos. - Vocês mexeram com a chapeuzinho errada. Lobo mau! - Diz pegando outro pela goela e lançando-o contra outros dois lobos que subiam pelo tronco. Deste modo acabando com todos que estavam a subir investindo contra a mesma. - Então sobrou três, huh?
Ela desfaz seu jutsu e decide cair sobre o lobo do meio esmagando-o com seus pés e socando os outros dois com sua força extrema por trás do pescoço. Hotaru não possuiria velocidade suficiente para chegar até a base da árvore e fazer este golpe. Já que tais podem muito bem se desviar. Afinal, lobos não são animais tão burros. Ela decide se soltar da árvore e alcança-los na queda. Afinal, um corpo em queda possui sempre a mesma velocidade, independente de seu peso ou da velocidade que o mesmo percorreria normalmente. Isso de acordo com uma lei da física onde ''a velocidade de um corpo em queda é sempre a mesma independente de seu peso'', proposta por Isaac Newton. Obviamente a garota não pensou em física na hora de efetuar seu movimento, fez-lo por uma lógica bem mais simples. ''Caindo devo ficar mais rápida do que correndo'' - concluiu.
Não via mais nenhum lobo a vista, então sentiu-se em segurança. Mas dessa vez, sem baixar a guarda, segue em frente. Seguindo rumo ao pequeno ponto que conseguiu avistar do topo da árvore.
HP: 235/235
CH: 260/260


Minha personagem não tem grande inteligência, qualidades como conhecimento geográfico ou visão aguçada. Logo, considerei que seja difícil para a mesma localizar a torre. O que ela conseguiu nessa narração foi uma possível referência da direção. Uma base para não ficar totalmente perdida. Ela não contou o número de lobos presentes, pois isso é algo dificilmente feito nessas situações. E ela não tem inteligência matemática para fazer cálculos deste porte de forma instantânea.

Ver perfil do usuário

Deca

avatar
Gennin
Gennin
Hotaru já estava a muito tempo correndo pela floresta, seus perigos eram grandes, mas ela não havia encontrado um verdadeiro desafio nesse seu caminho, ainda. A tarde estava perto de acabar, talvez faltasse uma hora para isso, mas ela não podia ser mais precisa do que isso. Agora, entretanto, um novo desafio se colocava a sua frente: um rio corria a sua frente e, olhando para os lados, só se via água e, aparentemente, se ela quisesse atravessar aquilo, não poderia esperar encontrar uma ponte, não na Floresta da Morte. Como ela atravessaria aquilo, se era óbvio que a correnteza era forte demais para simplesmente andarem ou nadarem por ela?! E isso nem era o pior, se parasse para pensar naquela pequeno pássaro que fora abocanhado de uma vez só por um peixe que surgira do nada do rio - seria aquilo uma piranha?  



Considere: O teste será feito por níveis, essa é a parte fácil. Não terá como passar só com suas capacidades físicas, isso é: correndo, pulando, nadando o rio, etc. Terá que arranjar algo que te ajude, tanto a alcançar o outro lado, como a evitar o cardume de piranhas (semelhantes a invocação e atacando o que surgir em seu alcance, cerca de dois metros acima d'água). Qualquer duvida, MP. Deverá chegar no outro lado do rio, não existe ponto ou qualquer coisa do gênero, só árvores ao redor de tudo. Após passar por isso, conseguirá ver a torre do topo de uma arvore, mas irá anoitecer logo e você terá a opção de acampar para se preparar para o próximo dia, ou seguir em frente a noite, só que a noite as coisas são mais complicadas.




Simplicidade e realidade me encantam. Busco trazer isso no que escrevo. (plágio '-')
Ver perfil do usuário

Hotaru

avatar
Chūnin
Chūnin
Já em determinado ponto, analisava o modo mais viável de atravessar um rio. Levando em conta a impossibilidade de nadar ou andar sobre ele devido a correnteza e animais aquáticos de alta periculosidade. Os peixes - seriam piranhas? - pareciam pegar o impulso da própria correnteza para saltarem tão alto.
- Preciso sabotar o nível da correnteza e então usar alguma árvore como ponte para atravessar - Disse em um monólogo consigo própria. Logo a garota foi até outro ponto da margem e buscou pelas arvores mais grossas. Com a força que tinha não possuía problema algum em derruba-las facilmente. Ela buscou usa-las para joga-las ao rio. Buscando fazer uma espécime de represa que interromperia as ações da correnteza, tornando-a mais lenta. A escolha de arvores grossas foi para que o peso fosse o suficiente de modo que tais não fossem levadas pelo rio. Conseguindo notar a diminuição da intensidade de água corrente, ela buscou usar-se de uma árvore de alta estatura, de modo que a mesma fosse lançada para que cada ponta ficasse além da margem do rio. Construindo uma ponte feita pela árvore de grande porte e se sentindo segura para andar por ela já que as piranhas não poderiam mais pegar um grande impulso outrora oferecido pela correnteza.
- Essas piranhas não chegam nem ao nível das que enfrentei na academia - ironizou. Seguiu em frente e buscou novamente o topo de uma grande árvore para se localizar. Desta vez obteve sucesso e viu a área onde está a torre. ''Então de fato segui o caminho correto '' -pensou animada.
O céu, entretanto, não parecia estar ao seu favor. Então novamente a garota fazia um monólogo afim de tomar uma decisão - As criaturas deste local são incomuns, e as noturnas devem ser pior ainda. Já que bestas predatórias, geralmente, possuem mecanismos sofisticados para caçar a noite. Criaturas noturnas costumam ter mecanismos bem mais sofisticados do que humanos... - Logo sua determinação veio e tona e ela complementou - Estou aqui para provar que posso ser uma chuunin. Estou determinada a isto. Seguirei em frente, independente do que haja.
Logo Hotaru segue em frente. Ciente dos riscos, portanto, fica alerta a todo momento. Antes que a noite chegasse ela bebe água e se alimenta, descansando um pouco.  A noite seria de fato longa - A noite é uma criança - Ironizou e complementou - Eu serei o padre.
Minha personagem não é impulsiva, mas é determinada. Ela vai seguir em frente encarando o perigo, mas sempre irá enfrenta-lo do modo mais apropriado possível.  


HP 235/235
CH 260/260

Ver perfil do usuário

Deca

avatar
Gennin
Gennin
Hotaru usou uma tática simples e eficaz para passar pelo rio e, com sua forte determinação, seguiu adiante, tendo pleno conhecimento dos perigos que aquela noite tinha a oferecer. Logo anoiteceu e, com isso, os melhores predadores da floresta saíram de suas tocas.  

Hotaru ficou, claramente, mais lenta, pois a visibilidade a noite era ruim e ela precisava se manter atenta a qualquer ameaça - e existiam muitas ali. Após um curto tempo de caminhada, um novo desafio se apresentou a sua frente: um bando de morcegos, em incrível quantidade, inicio um feroz ataque a jovem kunoichi. Eram muitos e surgiam de todo lado, seria muito difícil sair daquele cerco sem danos.

Considere: Bom, está cercada por um bando gigantesco de morcegos (morcegos normais, que atacarão com mordidas ou garras). Morcegos não costumam atacar humanos, inclusive esses, mas eles são um pouco mais inteligentes e estão protegendo seus filhotes, que estão em algumas árvores a sua frente (ou seja, eles estão te impedindo de se aproximar de seus filhotes). É um bando grande, então matar alguns não afetará muita coisa, sua melhor saída é dispersá-los e fugir, mas se for para frente um novo bando irá surgir. Lembre-se que morcegos se localizam por ecolocalização, então cuidado com a defesa, pois será difícil eles te perderem de "vista". Ainda está de noite, iniciando a madrugada, poderá parar após isso ou prosseguir, você decide. Como diz a regra: Aves Pequenas (Ex: Corvos) = 3 Pontos (morcegos não são aves, eu sei, mas vão entrar na mesma área).




Simplicidade e realidade me encantam. Busco trazer isso no que escrevo. (plágio '-')
Ver perfil do usuário

Hotaru

avatar
Chūnin
Chūnin
Um certo tempo após minha escolha  eu tinha minha visão e velocidade bem diminuídas pela vinda da noite ''Péssima hora pra isso'' - pensei. Demorou um tempo para meus olhos se acostumarem com a escuridão através da dilatação de pupilas natural ao ser humano. Era uma luminosidade ruim, mas permitia me movimentar ao menos um pouco. Logo uma orquestra de ruídos se punha em minha frente e daquelas matas e topo de árvores saíam um número incontáveis de morcegos. Aquilo me fazia colocar uma mão em minha bolsa para buscar algo que fosse útil- Alguém chamou o Batman? - ironizei.
Meus conhecimentos sobre morcegos não eram os mais sofisticados. Entretanto, eu sabia que eles se guiavam pelo som. ''Então é só fazer mais barulho do que eles estão habituados?'' - pensei. Uma horda de morcegos buscava me ferir com arranhões e mordidas. Busquei, portanto, ficar em movimento para atrapalha-los. Eu encarava aquilo como algo incômodo. Não me parecia doloroso e nem danoso. Entretanto, como a união faz a força, seria melhor reagir rápido. Peguei um selo explosivo e joguei-o a minha frente, afastando-me posteriormente alguns metros. Deste modo, ficando fora da área de explosão. - Kai! - Ao explodir e com isso levar uma pequena parte dos morcegos, o resto do bando ficava extremamente confuso com o estrondo causado. Já que tal dificulta drasticamente a forma como costumam localizar-se, e principalmente, localizar suas vítimas - No caso, Hotaru.
Ela aproveitou para pegar um dos morcegos mortos enquanto todo aquele bando voava e se debatia sem direcionamento algum. ''Poderia fugir, mas não iria muito longe com essa velocidade... E o meu caminho está a frente, não posso recuar..''- Pensava em uma energia determinada. Ela via o morcego em suas mãos e então usava de uma estratégia improvisada na hora.
- Henge no jutsu! -  Dizia transformando-se em um morcego, preferencialmente idêntico aquele que foi pego. Só que ao menos, vivo. A forma conseguiu sair-se de forma inquestionavelmente idêntica. Entretanto, voar não era nada fácil. Então a jovem ficou praticando isso enquanto o bando se reagrupava - o que demora ao levar em conta o número de morcegos. Por fim ela conseguiu elevar-se apenas a 5m de altura, mas já era o suficiente para fazer parte do grupo numeroso de morcegos. Sua velocidade também a fazia ficar no grupo mais lerdo que ficava para trás, mas não separados da população em geral.
Morcegos podiam ser animais sofisticados. Mas não conseguiriam reconhecer um diferente no bando. O processo de ecolocalização apontaria para eles um monte de morcegos com formas iguais, fora objetos inanimados e animais de pequeno à grande porte.
Não demorou para que aquele bando se unisse há um terceiro e todos partissem para onde ficavam abrigados. Entretanto, com outros planos em mente e aguentando apenas mais um pouco. Segui em frente ao máximo que pude permanecendo na forma de morcego. Afastando-me do bando principal. E então, não dando mole a outros predadores, transformei-me novamente em humana. Ficar na forma de morcego por mais tempo, e sozinha, não seria algo recomendável. Levando em conta que um morcego sozinho é facilmente capturado por outras bestas na floresta.
Meu sangue até aquele momento estava quente por toda a ação ocorrida até então. Entretanto, aos poucos, comecei a sentir frio. Com a noite a temperatura caia drasticamente. Mantive-me em movimento constante para que o sangue circulasse de modo a manter-me aquecida. Busquei seguir rumo ao meu objetivo, mas alerta. Afinal, os perigos de verdade estão apenas começando.
Cons:

Qualquer pessoa de inteligência normal conhece a forma de um morcego. Meu ninjutsu (2) é avançado, logo creio que usar Henge de forma 'gloriosa' não seja um problema.
Fico em dúvida se considero que levei algum dano. Afinal, morcegos possuem apenas ataques físicos. Tais são quase inúteis quando se trata de Hotaru. Ela resiste a boa parte de ataques físicos, levando dano apenas de inimigos com alta força. Mesmo assim, os danos nela são reduzidos drasticamente. Inimigos fracos, como morcegos, possuem danos que podem muito bem ser anulados.
HP: 235/235
CH 260/260

Ver perfil do usuário

Deca

avatar
Gennin
Gennin
Hotaru passava pelos morcegos de forma bem original, mas ainda recebia alguns cortes pelo corpo, mesmo que isso não causasse muito dano. Ela, aparentemente, não tinha muita sorte pois, após passar por morcegos, teria que lidar com aranhas e uma serie incrível de armadilhas de teias. Hotaru não havia percebido, mas as aranhas já haviam a "rastreado" e cercado tudo, afinal elas eram peritas em armadilhas.


Considere: pulamos de fase, agora seu inimigo será mais problemático - você não o narra e nem considera nada a seu respeito. Por partes: as aranhas te cercaram fazendo teias para tudo quanto é lado, quando perceber já estará cercada de teias e as aranhas menores estarão no alto espalhadas por todo o lugar. A aranha maior funciona como uma rainha e o único caminho não muito bloqueado é o que leva a ela. Ela estará no alto, também, sua teia principal correrá por toda a área acima de vocês, a uma altura de 30 metros. Deve-se levar em conta que, como está de noite e está escuro, terá uma dificuldade extra para ver as teias, já muito difíceis de se ver normalmente. Essas aranhas são inteligentes, não as subestime - a maior tem o tamanho da Kyodaigumo e as menores tem o tamanho das aranhas utilizadas pelo Suika. Faça suas escolhas, passe pelas teias e prepare-se para o que vier pela frente.




Simplicidade e realidade me encantam. Busco trazer isso no que escrevo. (plágio '-')
Ver perfil do usuário

Hotaru

avatar
Chūnin
Chūnin
A escuridão do local era incômoda, mas isso não me atrapalhava. Digo, ao menos não era o suficiente para me parar. Ficar na forma de morcego, de certo modo, tirando todo o esforço mental feito, poupou minhas energias. Aquele local fazia minha resistência física parecer algo acima do limite. Já que com a velocidade diminuída eu não gastava o tanto de energia quanto normalmente gastaria. Logo, não me cansava tão cedo.
''Tenho certeza de que estou no caminho certo, mas o local está estranho...'' - O frio persistia, mas cadê os mosquitos? Não sentia os famosos mosquitos de floresta, geralmente tão incômodos. Não via inseto algum. Além de uma extrema sensação de estar sendo perseguida. ''Bizarro... Angustiante'' - Refletia meus sentimentos quanto a situação.
Ouvia alguns ruídos. ''Mais morcegos?...'' - Me questionei assustada. Entretanto, tais eram bem mais suaves que os anteriores. Não pareciam ser vozes, e sim som. - Hoje é meu dia de sorte - ironizei. Andei aleatoriamente até sentir minha mão tocar em algo pegajoso. Um certo nojo foi demonstrado por meu rosto até verificar do que se tratava... - Uma teia? Falei e então forcei os olhos ao meu redor para averiguar melhor o ambiente. Fui achando mais teias e os ruídos cada vez mais altos.
- Se eu olhar pra cima... Sinto que vai dar merda.... - Olhei. Deu merda....
Um amontoado de aranha por todos os cantos pareciam me cercar. Havia sido, com sucesso, atraída à uma armadilha. - Ahhhh. Então é briga de aranha? Tô cercada? Vou dar porrada pra todo lado. - Desafiei. Mas seria um pouco complicado levando em conta a quantidade e a dúvida se tais eram venenosas.
''Aranhas com caçando em bando? Será que não há ao menos algum animal nessa porra que seja normal?'' - pensei. O frio que antes afetava só a minha pele, parecia me dar também na barriga. Sintomas de medo.
- Preciso seguir em frente, independente de qualquer coisa... Então vou pelo ... - Interrompe-se. Percebe um caminho sem tantas teias quanto os demais a sua volta. - Vai nesse mesmo... - Corri na velocidade máxima. Não que fosse grande coisa, ainda mais no escuro. Mas creio ser ao menos rápida o suficiente para sair do meio de tais aranhas.
Fui pelo caminho onde haviam menos presença de teias ''Tomei a escolha certa?'' - Minha dúvida era retórica. Era óbvio que não. No dia que eu tomar uma decisão decente terei que colocar um defeito ''dupla personalidade'' no meu databook. Só queria seguir em frente pelo caminho que obviamente era uma armadilha. Assim eu enfrentava logo a merda que vinhe-se e seguiria em frente. Não sei se será tão fácil. Nem espero que seja. Estou aqui para ser uma chuunin, não me importo com coisas difíceis no momento.
- Estou bem... Estou ótima - Mentia. - Não tô com medo.
E então dei de frente com o que não esperava. - Ahh ótimo... Então aquelas lá eram as filhinhas da mamãe... - Me preparava para um combate. - Se me atacar, eu vou atacar. - ironizei ao me encontrar com a aranha maior.

HP: 235/235
CH 260/260

Ver perfil do usuário

Deca

avatar
Gennin
Gennin
As jovens aranhas precisavam ser treinadas para a caça e, graças a isso, a rainha não atacaria agora, só observaria. As pequenas atacavam com tudo, visando picar a jovem Hotaru nos mais diversos pontos.


Considere: O "casulo" feito no local pelas aranhas não é perfeito, você pode procurar um pouco para achar uma saída daí - as principais saidas estarão em cima, próximas a teia principal da rainha, porque as pequenas só se importaram de te cercar pelas laterais, para não impedir a movimentação da rainha. Não existe forma sensata de se enfrentar a rainha, ela tem força 4, além da velocidade 2 e as teias, então nem tente sem técnicas decentes... '-'
As aranhas mais jovens surgirão por diversos lados, principalmente para trás. Somente as aranhas que forem feridas poderão recuar, mas tem aranha demais para isso importar algo. Tente criar distrações, elas não são tão inteligentes assim - e, claro, não se aproxime da aranha maior, pois ela te atacará. Agora poderá narrar a ação das menores, vindo de diversos ângulos, sem teias, para te picar.




Simplicidade e realidade me encantam. Busco trazer isso no que escrevo. (plágio '-')
Ver perfil do usuário

Hotaru

avatar
Chūnin
Chūnin
Apesar de ser um animal imponente, ela não demonstrava qualquer esforço em me atacar. Deixando para suas filhas o trabalho. Creio que ter dito ''se me atacar, vou atacar'' fez algum efeito - pensei ironicamente. As aranhas pareciam não ter grande experiência. Creio não terem passado muitos humanos apetitosos por aqui.
- Sem flores. Sem beijo. E já querem me comer? - ironizei. - Não é assim que se convida uma dama pra sair. ''Ainda mais pra uma briga de aranhas - pensei.
''Aranhas produtoras de teia tem uma visão inferior a aranhas simplesmente caçadoras. Geralmente se guiam pela vibração nas teias. Como não há teias nos meus pés, então devem estar se guiando aleatoriamente. '' - concluí. Saber que aquelas aranhas não estavam de fato me vendo já era uma vantagem. Apenas as caçadoras, que não possuíam teias, eram exímias em enxergar algo. Geralmente, estas vivem dentro de nossas casas ajudando a comer moscar indesejadas.
Me preocupei apenas com as aranhas que conseguiam chegar até a mim. Como eram muitas pelo campo, é natural que esta fosse uma tarefa difícil. Entretanto, como nenhuma delas me enxergava. Eu apenas dava socos ou chutes nas mais próximas, antes que tais possuíssem qualquer reação. Afinal, elas só reagiriam no momento que tocasse minha pele sem eu perceber. Eu possuía a vantagem de enxergar, mesmo minimamente, o que ocorria ao redor. As que encostavam em mim não tinham tempo algum de reação antes de serem esmagadas. Contanto que não fosse elas tomando a atitude de me tocar, e sim a minha atitude, eu estava salva. Pegava em cada mão uma kunai e a afiação da lâmina dava um reforço extra para o que viria a seguir.
Subo nas árvores da diagonal direita com Ki Nobori no Shugyō. Diminuía consideravelmente o númeor de aranhas para enfrentar. Mas meu tempo de reação também ficava menor.
''Eu não preciso exatamente de uma distração... Preciso achar um ponto fraco e sair por ele sem encostar em teia alguma. Contanto que eu não encoste em nenhuma teia. A rainha e demais aranhas não saberão onde estou. '' - Olhei mais para cima guiando-me pela luz da luz que revelava espaços maiores em tais teias. Bem mais simples de escapar do que as laterais.
A rainha certamente possuía teia em seu redor, então nem ousei chegar próxima a ela. Sei que seu nível de força deve ser um pouco inferior, mas sua vitalidade e capacidade de aranha me trariam desvantagem apenas com técnicas básicas.
Busquei ficar o mais próxima possível das brechas e então usar Shunshin no jutsu para sair rapidamente. Após isso continuaria correndo entre as árvores. Se possível, livre das aranhas.

HP: 235/235
CH 255/260

Ver perfil do usuário

Deca

avatar
Gennin
Gennin
Hotaru corria muito e, antes mesmo de perceber, amanhecia. Aquele manhã seria complicada, pois a jovem esteve andando, correndo e batalhando desde o meio dia do dia anterior, já eram quase vinte e quatro horas agindo sem parar, coisa que deixaria até o mais resistente dos ninjas cansados - e isso não seria diferente com Hotaru.


Considere: este é O MOMENTO do teste, em que levará sua interpretação e criatividade a me surpreender. Para chegar até a torre, seria necessário algo em torno de 36h andando/correndo (algo que eu delimitei, só para deixar claro), algo que você está fazendo desde as 12h do dia anterior e acabou de amanhecer, o que seria algo em torno de 6h da manha. Você está batalhando, andando e correndo esse tempo todo, está cansado, mesmo que isso contrarie a regra de stamina, aqui é necessário uma interpretação de toda a situação.
O que deve fazer agora é narrar as 18h andando, correndo e batalhando até chegar a 200m da torre, onde, dependendo da sua narração, haverá ou não um ultimo desafio. Esse é o principal post dessa fase e também o que poderá usar para recuperar o cansaço - a quantidade eu cito depois, dependendo de quanto parar para descansar, pois descanso na floresta da morte é algo complexo. Terá que narrar 18h indo até a torre, basicamente o que fizemos até agora, então tenha cuidado com os detalhes de uma passagem longa de tempo dessas, incluindo as pausas para comer e quaisquer coisa do gênero. Não existirá um WO específico nesse post, pode demorar o tempo que desejar.




Simplicidade e realidade me encantam. Busco trazer isso no que escrevo. (plágio '-')
Ver perfil do usuário

Hotaru

avatar
Chūnin
Chūnin
A corrida e o perigo faziam o sangue correr por minhas veias, esquentando meu corpo da fria madrugada. Meu desespero estava num ponto tão alto que eu permanecia correndo pensando nas aranhas. Com uma intensa sensação de que elas estavam a me perseguir.
Meus pensamentos neuróticos e sentimento de pânico e desespero apenas cessaram quando senti leves incômodos em meus olhos que foram se multiplicando rapidamente. Desacelerei meu ritmo e comecei a notar melhor o ambiente.
Eu não era uma pessoa medrosa, mas não tinha como permanecer calma em uma situação daquelas. Controlei minha respiração de modo a me tranquilizar. O que incomodava meus olhos, além do sono, era a luz do sol. -Mas... Oi?- Confusa. Não tinha reparado no amanhecer. Eu não estava cansada por correr, mas sim pelo tempo no qual estava acordada.
Ficamos acordados até dezesseis horas sem problemas, dependendo de nossa alimentação. Já que dormimos, no mínimo, umas oito horas por dia. Haviam se passado aproximadamente dezoito horas desde o início do teste. O excesso de adrenalina e limitação de velocidade causada pela escuridão fez com que o corpo da garota resistisse bem ao natural cansaço biológico, mas agora ele começava a transparecer.
- Eu não sei em quanto tempo é possível chegar até a torre... - Disse enquanto subia numa árvore para fazer uma pequena averiguação. A garota então observa a torre e observa também o ponto de onde partiu - Devo estar na metade do caminho, por ai...
- Tive minha velocidade diminuída por doze horas. E nesse tempo de aproximadamente dezoito horas cheguei até aonde parecer ser a metade do caminho. - Monólogo - Então se eu dormir um pouco a cada dez ou vinte minutos de caminhada, ainda chegarei na torre em aproximadamente dezoito horas? - Questionava-se e optava por apostar neste raciocínio. No topo daquela mesma árvore ela camuflava-se com Kakuremino no Jutsu e descansava alguns minutos. Ao menos relaxava, mas permanecia consciente, afinal, seguiria em frente daqui a pouco.
'' Se eu dormir ficarei inconsciente. Mas se eu relaxar a cada 20 minutos minha mente e corpo descansarão, será como se tivesse dormido... Talvez eu até consiga descansar totalmente... Bem... Vou pagar pra ver.. '' - pensou antes de relaxar um pouco.
Logo a mesma ia em velocidade máxima por alguns minutos e descansava mais alguns. Ela sempre se utiliza de Kakuremino no Jutsu para camuflar-se no topo de árvores, moitas e demais elementos do terreno. Ela pausa para hidratar-se e se alimentar a cada três horas com frutos.
''A época não é muito frutífera, mas estamos na floresta da morte... Onde plantas e animais não são nada comuns. Algumas árvores dão frutos e alguns animais, como aranhas, são mais agressivas que a TPM da minha mãe'' - concluiu em um monólogo. Alimentos eram facilmente encontrados, desde que tais já fossem de seu conhecimento, afinal, podiam haver alguns venenosos. Já água era uma tarefa mais complicada, nem sempre conseguindo encontrar em suas pausas, mas bebendo ao menos dois copos cada vez que encontrava. A menina opta por frutas. Demoram muito menos tempo a ser digeridas do que alimentos mais “pesados”, ou seja, 20-30 minutos em vez das habituais 1-3 horas. Ao comer fruta com o estômago vazio, esta passará rapidamente pelo organismo, dando ao nível de glicose no sangue aquele empurrãozinho de energia que precisa. O que não ocorreria no caso de carnes, alimento rico em proteínas e gorduras, o que a torna difícil de digerir, o que por sua vez, requer mais gasto energia do organismo.
Em dado momento da tarde a mesma faz uma pausa mais longa para preparar alimentos cuja forma de consumo exija cozimento, como batata doce, mas que ao menos lhe ofereceriam nutrientes ideais com carboidratos de lenta absorção. Oferecendo-a energia em longo prazo.
Esta pausa mais longa ela compensa andando em velocidade máxima sem pausa por 1h, e após tal descansando 10 minutos. A partir disso ela prossegue de forma já programada. Velocidade máxima ou próxima de tal  durante 10 à 20 minutos, descanso de tempo semelhante e pausa para alimentar-se e beber a cada 3h.

...

O horário matinal não oferecia nenhum perigo. Não haviam muitos animais em busca de presas nele. Já no vespertino, a partir do momento que a sombra da garota ficava abaixo dela, era marcado por um perigo ameno. Se movendo no topo das árvores viu no térreo alguns animais selvagens e perigosos como lobos e javalis gigantes. Neste instante ela sempre pegava um pedaço de galho e tacava em alguma moita para distrai-los enquanto se movia por cima de suas cabeças.
Quando mais próxima a torre e ao fim da tarde, ela opta por não fazer pausas para alimentação. Afinal, animais noturnos começariam a sair de suas tocas. Entretanto, seguia com seus descansos de forma ininterrupta com o auxílio da camuflagem mesmo após o anoitecer.

...

A jovem ''dormiu'' no mínimo 30 minutos por hora. Ignora-se o horário sem descanso -- pausa mais longa --,afinal o valor de 30 minutos é algo mínimo, levando-se em conta os intervalos de 10-10(minutos), corrida e descanso. Sendo que muitas vezes foram 20-20 ou 15-15. Sendo no geral um descanso de 6h ou mais.
Hotaru já sentia seu corpo bem disposto, mesmo que não estivesse totalmente (esta parte depende do narrador). Ao menos ela conseguiu descansar bem e compensar seu descanso com velocidade total. O anoitecer volta a diminuir sua velocidade, entretanto, ela sente que isso ocorreu de forma mais amena. Afinal, ela já estava acostumada com o ambiente e sua diversidade de árvores. Estava se acostumando à floresta.
A jovem permaneceria com seus descansos, mas dessa vez a no máximo dez minutos. Mesmo após andar por quinze ou vinte minutos, ela descansaria no máximo 10. Ela perambula dentre o topo das árvores afim de escapar de predadores térreos.
Qualquer perigo ocorrente ela lidaria apenas com a força, mas optou por fugir sempre que avistava algo suspeito ou sentia-se perseguida. Os predadores noturnos possuíam formas mais sofisticadas de identificar presas. Entretanto, não haviam tantos predadores acima das árvores. Era mais escasso o número de animais aéreos ou arborícolas que fossem perigosos.  
O frio, principalmente na parte da noite, tornou seus descansos mais confortáveis. Já que o frio auxilia no sono. Mesmo diante dos possíveis perigos. Em dado momento a jovem, já no topo de uma árvore, avista o ponto de chegada. Isto com o auxílio da luz lunar e olhos já acostumados com a escuridão. Reparando em meio as árvores o ponto de coloração diferenciada, agora bem mais visível, ou seja, a torre.  
Ela está a poucos metros, aproximadamente 200m. Pegava em cada mão uma kunai e se mantinha alerta. Desta vez não descansaria até chegar ao local e lidaria na base da luta com qualquer perigo que fosse encontrado. Logo ela segue em frente. - Família! Cheguei!

É um post de descanso. Não sei se recuperei meu chakra ou não '-' Não dei nenhuma batalha a Hotaru devido a estratégia feita para fugir de perigos. Locomovendo-se pelo topo das árvores e fugindo a qualquer sinal. Aproveitando-me que a personagem está com boa energia (devido as diversas pausas para lanche e beber água) e bem melhor descansada (devido aos cochilos). Já acostumada com florestas, logo mais apta a caminhar por ela mesmo na escuridão.  

HP: 235/235
CH 255/260

Ver perfil do usuário

Deca

avatar
Gennin
Gennin
Hotaru fazia todo aquele trajeto como se não fosse nada, despistando ou fugindo da maioria dos predadores. Infelizmente, quando mais perto da torre, maiores eram os perigos. Ela não fugiria facilmente do desafio que seria imposto agora, possivelmente nem conseguiria fugir. Aquele bando era inteligente, numeroso e possuía capacidades de dar inveja a muitos.


Considere: Chegamos a batalha final, por assim dizer. Você está cercada de macacos lutadores. São 20 macacos pequenos (possuem mais ou menos a sua altura, mais como não ficam eretos, aparentam ter 1m), enquanto o chefe tem 4m (uma imagem base, mas sem roupa). Eles virão de 5 em 5, somente após derrotar 5 que os próximos virão, os que assistirem o farão de cima das árvores, enquanto vocês lutam em uma área adequada. Eles tem certo conhecimento sobre lutas físicas, possuem 2 de força e 3 de velocidade, além de 3 de inteligencia; não é necessário matá-los, apenas derrotá-los (eles reconhecem quando perderam). Os cinco últimos lutam com bastões de madeira, semelhantes a porretes, e os manejam habilmente. O grandão é depois, então ignore-o, pois ele apenas assistirá (diferente das aranhas, ele estará te analisando e esperando para saber se você é capaz de enfrentá-lo).

Esqueci de avisar, recuperou o chakra, assim como está quase totalmente descansada.




Simplicidade e realidade me encantam. Busco trazer isso no que escrevo. (plágio '-')
Ver perfil do usuário

Hotaru

avatar
Chūnin
Chūnin
Busquei fugir do perigo e isso deu certo. Entretanto, como quanto mais você pisa na merda, mais fede, não demorou pra começar a catinga.  Vejo-me cercada por macacos. Não parei para contar a quantidade e isso nem me interessou. ''Meu corpo está bem relaxado... Vamos numa porrada pra esquentar'' - pensei. Não tinha certeza sobre a quantidade já que o topo das árvores me parecia mais escuro.

...

Logo veio um grupo contra mim. Este me serviria para analisar o potencial destes animais. Deu para ver claramente que eram cinco. Dois buscavam trabalhar mais com chutes e dois com socos, um buscava fingir me atacar afim de me confundir. Nos primeiros golpes eu busquei apenas desviar para testar a força e velocidade dos mesmos. É perceptível que eles são bem mais velozes do que eu e acertaram-me várias vezes. ''Essa velocidade deles de fato é superior a minha'' - pensei enquanto levava um chute na barriga. ''Mas seus socos e chutes me fazem praticamente cócegas... Não são fortes... Nem sequer me fazem danos... '' - concluí.
Sem força e com bastante velocidade, a única alternativa para eles é me vencerem pelo cansaço. Portanto, busquei não apostar muito em minha velocidade e força máxima, pois não podia cansar-me nesta altura do campeonato. Peguei uma kemuridana e taquei-a no chão. Nem eu e nem eles poderíamos enxergar na escuridão da fumaça. Entretanto, antes do uso da bomba, dois deles gravaram minha posição e foram rapidamente contra mim. Conseguindo me achar mesmo na fumaça. Ao sentir uma canelada em minha barriga e um soco na minha testa era notável que eram animais excepcionais. ''Inteligentes....'' - pensei. Peguei ambos a partir de seus membros e então procurei suas cabeças para bater uma na outra e atordoa-los. A fumaça em breve irá se dissipar. Joguei um para longe da cortina e usei Henge no Jutsu, transformando-me num macaco. Mas antes, usei Bunshin no Jutsu que manteria sua forma original, ou seja, Hotaru.
Com o dissipar da fumaça os três macacos restantes se encontravam unidos. Um cobrindo o outro. Deste modo eles se defendiam mesmo dentro da fumaça. ''Mais inteligentes do que pensei'' - admirada. Eles desfizeram sua formação e olharam para mim. ''Pronto... Me descobriram...'', mas não. Apenas ficaram intrigados que um havia sido derrotado. Logo eles partiram para cima de Hotaru. O clone buscou se desviar do primeiro, mas esse apenas fingiu que iria ataca-la. E então um outro vinha por trás deste. Neste momento eu aproveito para golpear um deles silenciosamente enquanto os outros dois estavam distraídos, apenas desmaiando-o. E logo me dirijo aos outros dois. Um deles chuta o clone, desfazendo a ilusão. E então quando olham para trás já é tarde. Um punho cerrado no rosto de cada um, jogando-os contra uma arvore.

...

E então eles me olham intrigados. Mais cinco partiram em direção ao campo. ''Então eles vão atacar em grupos de 5? Merda... Nem sei quantos tem''  - pensei. Um por um parte em minha direção. Antes de me alcançar cada um saltava sobre mim e se apoiava numa árvore afim de me atacar por trás com seu próximo impulso.
O primeiro veio e já me preparei quando estava a minha frente. Mas ele simplesmente salta e pega impulso numa árvore afim de me dar um soco e empurrar-me no ponto cego. Sinto seu punho e busco virar-me para pega-lo, mas o mesmo age rapidamente para se afastar. E então um segundo vem e preparo-me, mas ele faz o mesmo. O terceiro então vinha e decido-me apenas me virar para trás esperando que ele faça a mesma coisa que os primeiros. Sinto então um carrinho derrubando-me. Não acreditei no que estava acontecendo. Eles basicamente fizeram uma armadilha. Se eu me prepara-se eles viriam por trás, mas se eu me virasse eles atacavam. ''Muito mais inteligentes do que pensei..'' - Já estava ficando irritada. Vi dois deles, os dois últimos, saltando e pulando em cima de mim -- quando já caída no chão -- e buscando me acertar ao mesmo tempo.
Ao sentir este golpe vi que não era uma cócega quanto aos demais, embora não me fizesse danos mesmo assim '' Eles já viram que não me fazem danos em ataques individuais. Estão montando armadilhas e testando combinações para unir forças e tentar me ferir. Inteligente pra cacete...'' - concluí.
- Eu me pergunto se humanos não deveriam evoluir para macacos ao invés do contrário - ironizei. Levantei-me e eles já estavam posicionados para fazer a mesma coisa. Um vinha e ao me preparar ele saltava, depois disso tudo o que senti foi um soco fraco em minhas costas. Não me preocupei em virar-me e tentar golpear, sei que tudo o que fará é se afastar e foi isso que ocorreu. O outro já se preparava, mas eu também. Usei mais um bunshin que ficava em minha frente parado na mesma posição que eu. Eu ainda estava na forma de um macaco e aguentaria tal apenas mais um pouco.
Vejo outro saltando e se apoiando na árvore. Mantenho o bunshin parado e vou na direção deste.  Esperava apenas que meu clone cobri-se a visão dos outros macacos quanto ao que estava acontecendo. Pegava-o de surpresa já virada em sua direção e socava-o, depois carregando-o rapidamente para fora do campo de visão, deixando seu corpo em algum lugar camuflado.
Nisto, mantendo o bunshin eu me passava pelo macaco e ia na direção dos outros. Ao chegar nos restantes um deles já saiu em direção ao clone e eu rapidamente golpeio três silenciosamente batendo suas cabeças. Logo vou na direção do próximo pegando-o de surpresa com um chute.

...

Logo vem mais um grupo de mesmo número. ''É, eles realmente pretendem atacar-me assim. '' - concluí. Estando diminuído o número de macacos reparei que faltava mais um grupo reserva, mas estes tinham bastões em mãos. E havia um, maior do que todos, que apenas me olhava todo este tempo. ''Dê a César o que é de César''
O grupo atual não me daria muito tempo para pensar. Eles avançam em conjunto. Os dois primeiros buscam me dar rasteira e os outros três se combinam para atacar-me ao mesmo tempo.
Dois avançam ao mesmo tempo e buscam me dar carrinho, um em cada perna frontalmente. Firmei meus pés no chão, não deixando isso acontecer. Tendo eles falhado, joguei-me para cima deles socando ambos. Os outros três saltavam por cima e se uniam, afim de cair sobre mim ao mesmo tempo.
''Se há algo que aprendi aqui... É que uma velocidade lenta é compensada com a queda. E eles devem ter a mesma velocidade que eu ao caírem, logo...'' - Eles caíam em um velocidade acompanhável. Afinal, um corpo em queda, independente de seu peso, possuía a mesma velocidade. Peguei os dois desnorteados no chão pelas pernas e joguei-os contra o trio ainda no ar, já próximos a mim.
''Eles estão de toda forma tentando achar meu limite de resistência física. Eu não usei minha força máxima e eles ainda não sabem até onde minha defesa pode chegar... '' - Eles percebiam suas desvantagens e buscavam sana-las, portanto, eu já sabia que o próximo grupo provavelmente usaria um para me derrubar e atacar com quatro.

...

Logo vinha o ultimo grupo, desta vez com bastões em mãos. Como previsto apenas um vinha contra mim. Eu sabia que seu alvo seria minhas pernas, mas não em qual ângulo. Ele vinha de forma frontal e saltava, pegando ainda mais impulso com o apoio do equipamento. ''Por trás...'' - Virei-me em tempo de ver o mesmo pegando impulso na árvore e já avançando com a arma preparada contra minhas pernas.
'' Não virá outro por trás, pois os quatro querem unir forças afim de conseguir me ferir, então...'' - Levantava um dos pés e pisava no bastão deste, sem quebra-lo. O objetivo era apenas parar seu golpe. Após a defesa viria o contra-ataque. Eu pegava o bastão com o macaco ainda segurando-o e usava para jogar este contra os restantes facilmente com minha força. Tive sucesso em joga-lo para cima de dois que não tiveram tempo o suficiente para sair da área de ataque. Afinal, era um golpe inesperado. Conseguindo desnorteá-los.
Os outros dois avançavam com seus utensílios de combate e eu agora usava o bastão roubado de outro macaco. Eles eram bem hábeis, mas sendo iniciada em taijutsu eu cria poder ao menos acompanhar o estilo de luta deles. Manobrando o instrumento eu busquei defender um golpe vindo pela direita, no qual tive sucesso. E então girar e golpear o oponente da esquerda, mas este fugiu e buscou atacar minhas pernas, as quais firmei.
- Você não tem o porquê lutar. Dois ao mesmo tempo não conseguem me fazer danos - Eles, entretanto, não ligavam. Percebi que por serem usuários de bastão, provavelmente seus ataques sejam um pouco mais forte do que os anteriores, afinal, agora estes tinha uma arma cujo nível de poder eu desconhecia. Larguei o meu e deixei-me, aparentemente, ser golpeada pelos dois ao mesmo tempo. Mas agora, em minha força máxima, eu agarro-os e parto eles facilmente. - Vocês dois agora estão sem suas armas. Não possuem chance de vencer este combate. Desistam. - Eram macacos inteligentes e seria ilógico atacarem ao verem-se diante de tal impossibilidade. Neste momento a jovem apenas pega o bastão no chão de volta, espera que ambos se afastem e fixa os olhos no maior.
- Eu busquei não matar nenhum. Me deixará passar? - Questionava.

Eu manterei ela com o bastão pego. A não ser que você, como narrador, decida de alguma forma tirar-me o bastão '-' Eu ficarei com ele. Ao menos Hotaru fará tudo para ficar com ele. Então caso eu vá de fato ficar com ele, poderia por favor, dizer-me seu rank e uma imagem que correspondesse a tal? e.e É uma ação feita em ON, então creio ser possível tirar uma arma de NPC derrotando-o.
Então eu precisaria dos dados básicos do bastão, como qualquer arma, para adiciona-lo em ficha.
HP: 235/235
CH 260/260

Ver perfil do usuário

Karma

avatar
Nanadaime Hokage
Nanadaime Hokage
Os macacos se viram derrotados e se afastaram. Hotaru pôde seguir em frente e encontrou a torre, finalmente. Lá ela recebeu apenas uma projeção de chakra do responsável pelo exame que a mandou avançar para a próxima sala, as energias dela estavam renovadas e a arma continuava com ela.

Vá para este tópico: http://www.narutorpgakatsuki.com.br/t49324-cs-konoha-suna-salao-de-batalhas-da-torre#300405

Bastão:


Rank: C.
Descrição: Um simples e longo bastão de madeira usada por um dos macacos da Floresta da Morte.





“さよなら ありがと 幸せになってね
Good-bye and thank you; go find happiness

——— Perfil de Autor

Ver perfil do usuário

Conteúdo patrocinado


Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo  Mensagem [Página 1 de 1]

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum